meuselonAO1—– Original Message —–
From: Rodrigo de Sá
To:
Sent: Monday, March 04, 2013 9:25 PM
Subject: Sobre a reflexão do AO90 enviada pelo Departamento do 1.º Ciclo do agrupamento de Escolas Eng.º Duarte Pacheco – Loulé

Caros colegas,

Em choque, acabei de ler a reflexão enviada em nome do Departamento do 1º Ciclo do vosso agrupamento, e a primeira reacção foi considerar ridículo. Reflecti um pouco, e não queria continuar a considerar a vossa reflexão nestes termos. Mas de novo, não consigo encontrar outro adjectivo. Então anular o Acordo Ortográfico que para todos os efeitos não está em vigor judicialmente, e voltar à ortografia oficial nas escolas é um desrespeito pelos professores que investiram nesta grafia cacofónica? E obrigar os professores a escrever desta forma, sem sequer ter havido um debate connosco? E obrigar os nossos alunos que não querem esta grafia, que se manifestam contra ela? E as opiniões públicas de centenas de professores, letrados, iletrados, escritores, doutores? E os inúmeros pareceres negativos, incluindo o da Direcção-Geral dos Ensinos Básicos e Secundários?

É isso que vamos perder se anularmos os Acordo Ortográfico? O respeito? Caros colegas, o respeito há muito foi perdido. Estamos simplesmente a lutar para que ele seja reconquistado. Pois esta subserviência ao ditames de duas outras cabeças gananciosas é que demonstra falta de respeito e orgulho na nossa profissão.

E orgulho na nossa identidade? E respeito pela nossa identidade? Acaso sabeis que foram os de lá do Brasil que desfiguraram a nossa grafia adaptando-a à sua moda, e que fizeram um choradinho nos idos anos 10, 20 e 40 do século passado, para que não lhes forçássemos a escrever como se escrever em Portugal?

Saberão vocês colegas, de Loulé, que um dos pontos do AO90 prevê uma aproximação à pronúncia culta em Portugal, e em caso de dúvida favorece-se a pronúncia culta existente entre Lisboa e Coimbra? E agora? E o respeito pelas pronúncias cultas e não cultas de quem não vive, nunca viveu e nunca irá viver entre Coimbra e Lisboa? E Loulé? Não tem também a sua pronúncia culta que poderia ajudar a esclarecer algumas dúvidas sobre algumas formas de dizer certas palavras?

Espero sinceramente que haja alguém nesse agrupamento que não se reveja nessa reflexão e que tenha oportunidade de assinar a Iniciativa Legislativa de Cidadãos Contra o Acordo Ortográfico https://ilcao.cedilha.net/

Triste, revoltado e em luta,

Rodrigo de Sá
(professor de Educação Musical na E.B.I. da Ribeira Grande, São Miguel Açores)

[Mensagem recebida por email, com autorização de publicação pelo autor.]