blue-l

É uma discussão intensa há já algum tempo no seio da equipa de tradução portuguesa do WordPress, adotar ou não o Acordo Ortográfico para a Língua Portuguesa (AO90). Dessa discussão destacam-se dois consensos alargados: a oposição quase unânime ao AO90 e uma enorme resistência em aplicá-lo ao WordPress pt-PT.

Todavia, houve um entendimento geral de que se deveria avançar para a adoção do AO90; apesar de toda a discussão sobre a sua aplicação, o AO90 está em vigor e existem instruções para que as instituições públicas o apliquem. Além disso, há já muitas outras entidades privadas que o estão a fazer, criando uma necessidade de que a plataforma acompanhe o uso que lhe é dado (e exigido).

[De “WordPress Portugal“, transcrição parcial de um “post” com o (curioso) título “WordPress em português: pré ou pós-AO90?“]

Muitas pessoas nos perguntam (e ainda mais pessoas se perguntam a si mesmas) o que diabo pode levar alguém a “adotar” o AO90. Pois bem, a transcrição acima esclarece espectacularmente o insondável mistério: há quem “adote” porque sim e há quem “adote” porque também.

Existe uma “oposição quase unânime ao AO90” mas não faz mal, “adota-se” na mesma.

Há “uma enorme resistência em aplicá-lo” mas pronto, assim como assim, aplica-se de qualquer forma.

Mas porquê, perguntarão de novo alguns, mais incrédulos ou renitentes, mas porquê, afinal? Se a oposição é “quase unânime” e se há “uma enorme resistência”, então como é possível alguém dizer que mesmo assim “houve um entendimento geral de que se deveria avançar para a adoção”?

“Entendimento geral” de quem? “Entendimento geral” da minoria irrisória que não se opõe ao “acordo”? “Entendimento geral” de meia dúzia?

O que significa, afinal, “entendimento”? E o que virá a ser então, no fim de contas, este estranhíssimo conceito de “geral”?

Ficamos na mesma, sem perceber nada de nada, é porque é e pronto, não se fala mais nisso?

Pois, exactamente. É assim e acabou-se. As perguntas contêm em si mesmas as respostas. Ou seja, não há respostas nenhumas. Eis o acordismo em todo o seu “esplendor”.

Portanto, estando as respostas dadas e sendo elas estas, é favor pararem de nos fazer perguntas, obrigado, e podem também os mais incrédulos parar de se interrogar a si mesmos, isto não tem nada que saber, sejam bem vindos ao mui restrito clube do “entendimento geral”.

[Por uma questão de preservação da sanidade mental (própria e alheia) reserva-se o autor deste “post” o privilégio de não se referir sequer aos restantes “argumentos” do (pelos vistos) patrão da “WordPress Portugal”.]