Interessantes declarações da Senadora brasileira Ana Amélia, em audiência com o Embaixador José Roberto de Almeida Pinto, representante permanente do Brasil junto da CPLP. Interessantes declarações, repita-se, não apenas porque a Senadora nega o carácter ortográfico do “acordo… ortográfico” (no que não foi desmentida) como também porque refere claramente os “interesses por detrás” desse “acordo ortofónico” e ainda, ou mais ainda (interessantes), porque desvenda numa única frase algo que se deverá enquadrar na categoria de “segredo de Estado” em Portugal:

Há uma resistência, especialmente na comunidade de Língua Portuguesa, liderada por Portugal, e o próprio Ministério, a Secretaria da Cultura de Portugal mandou retirar dos programas de computador as correcções para a nova nomenclatura do acordo ortográfico que foi elaborado no Brasil pela Academia Brasileira de Letras“.

Durante a sabatina que antecedeu sua aprovação na CRE, a senadora Ana Amélia (PP-RS) questionou José Roberto quanto às dificuldades de implementação do acordo ortográfico da língua portuguesa, devido às resistências que teriam origem, principalmente, em Portugal. Inicialmente, a previsão é que o acordo passasse a vigorar já em 2013, mas a data foi adiada para 2015. Além disso, a senadora observou que, para alguns especialistas brasileiros, o acordo seria ortofônico, e não ortográfico.
(fonte)

ortofonia (Priberam)
s. f.
Arte de corrigir terapeuticamente os vícios sónicos.

or.to.fo.ni.a, substantivo feminino (“Wikcionário“)
articulação perfeita dos sons (de uma língua)
arte de corrigir os vícios da pronúncia