Quadrat07032014

«O problema é que não se trata de reformar o Estado. Trata-se de aplicar uma visão empresarial ao funcionamento do Estado. Porque a única lógica que existe em muitas medidas governamentais é uma lógica daquilo que a elite que está no poder, uma, com interesse próprio considera que são as políticas boas para algumas empresas e, outra, também por interesse próprio, porque é lá que eles têm futuro, não é? — porque é evidente que a maioria dos governantes tem futuro assegurado, a começar pelo primeiro-ministro; nunca vão ficar desempregados, nunca vão ter dificuldades económicas, eles têm a circulação garantida a nível nacional e internacional pelos círculos de poder que apoiam hoje — e é evidente que essa ideia empresarial faz com que se corte investimentos na ciência, faz com que se desprezem as humanidades, a História, as Letras, faz com que se aplique um Acordo Ortográfico que ninguém deseja e ninguém quer e por inércia — porque para eles é indiferente o destino da língua e a qualidade do Português e a qualidade do ensino.»

[Transcrição manual, a partir de gravação, de algumas afirmações produzidas por José Pacheco Pereira no programa “Quadratura do Círculo“, do canal de TV “Sic Notícias“, emitido em 07.03.14.]