logo_imparcial

Escritor avalia mudanças na ortografia

por Mariane Gaspareto-ESPECIAL

Conferencista J.B. Oliveira considera a reforma na língua portuguesa um “desserviço” e combate excesso do estrangeirismo

A nova reforma ortográfica é um “desserviço” para a língua portuguesa, pois suprime acentos que geram dúvidas aos leitores, de acordo com o conferencista, escritor, consultor de empresas e jornalista João Batista de Oliveira, o J.B. Oliveira.

Conforme o prudentino, que mora há mais de 50 anos na capital paulista e retornou a Presidente Prudente para realizar, ontem, palestra promovida pelo CIEE (Centro de Integração Empresa Escola), um exemplo prático é a confusão causada na retirada da acentuação da palavra “para”. “Não sei se é o verbo de ação, referente a parar, ou a preposição”, explica.

Segundo Oliveira, a nova reforma é tão importante, que dedicou um capítulo inteiro de seu livro “Mostrando a língua” ao tema. Segundo o escritor, a intenção do acordo é eliminar diferenças ortográficas observadas nos países que têm a língua portuguesa como idioma oficial, visando a unificação ortográfica das localidades. “No entanto, é uma maneira simples de complicar”, define.

O autor afirma que o português é uma das línguas mais ricas, versáteis, amplas e sonoras existentes. “Ele merece ser estudado, conhecido, e não deturpado, como tem ocorrido”. Um dos problemas encontrados pelo conferencista é a “influência nefasta sofridas pelo “internetês e inglês”. Para ele, a importação de estrangeirismos deveria ocorrer apenas quando “não temos palavra correspondente”.

Deficiências

Segundo J.B. Oliveira, o “crescente descaso” com a língua portuguesa prejudica as pessoas no mundo corporativo e na área acadêmica. “Dentre os mais comuns, alguns chamam a atenção, como o gerundismo e o pleonasmo vicioso”, pontua.

Conforme ele, uma maneira eficaz de evitar esses erros é realizar três passos: “ler bastante, mas com atenção para assimilar o vocabulário e a construção silábica das palavras; ter sempre uma boa gramática à mão; e ter um dicionário por perto, visto que palavras podem ter vários significados desconhecidos por nós”.

O evento de ontem discorreu sobre esses e outros assuntos no auditório da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), com o tema “As melhores dicas sobre a língua portuguesa”, no qual o conferencista destacou a linguagem mais adequada a cada situação, fornecendo dicas sobre como conhecer bem a língua portuguesa e evitar gafes.

[Transcrição integral de notícia publicada pelo jornal “O Imparcial“, de Presidente Prudente (cidade do Estado de S.Paulo, Brasil), em 21.08.14.]