APTnAO

Captura de ecrã 2014-08-30, às 10.57.04A Associação Portuguesa de Tradutores anunciou — com destaque no seu “site” — a não adopção do Acordo Ortográfico.

Esta notícia não é uma notícia qualquer. Na verdade, esta decisão da APT reveste-se de um significado muito especial.

Em primeiro lugar, por se tratar de um retorno. É de louvar toda e qualquer instituição que nunca aderiu ao “acordo”, mas é de destacar sempre que se trata de um “regresso às origens”. Errar é humano e muito gente aderiu ao AO sem pensar muito bem nas consequências, ou acreditando que “eles” devem saber o que estão a fazer. Quando uma instituição “adota” o AO e volta a escrever em Português Europeu isso só pode significar que houve uma reflexão — alguém achou que não, que “isto” não tem mesmo pés nem cabeça, é tempo de dizer chega!

Em segundo lugar, a Associação Portuguesa de Tradutores não é uma instituição qualquer. O AO90 é um conglomerado de mentiras, mas poucas serão tão gordas como essa de com o AO90 deixar de ser necessário uma tradução para Portugal e outra para o Brasil.

Todos sabemos que não é possível traduzir meia folha A4 sem que se perceba de que lado do Atlântico está o tradutor. Seja qual for o âmbito do texto — da informática à culinária, da geografia à medicina e passando pela silvicultura, dificilmente dois tradutores “acertam uma”. É claro que isto não tem problema nenhum — é apenas um reflexo da riqueza da língua. Mas era estranho, para dizer o mínimo, ver uma mentira deste calibre ser defendida por uma Associação de tradutores portugueses — precisamente a classe mais prejudicada pelo sonho nefasto do “Português Universal” que o AO90 finge encarnar.

Por tudo isto, aqui fica uma saudação muito especial para a APT!

[Logótipo e imagens do “site” da APT]

[Via página Facebook “Tradutores contra o acordo ortográfico“]


Nota
Tratando-se de uma decisão recente da Direcção da APT, o “site” daquela Associação está em processo de reversão para a norma Pt-Pt. Por isso, se ainda ali encontrar algo redigido numa espécie de linguajar estropiado (vulgo, “acordês”, como se pode ver na imagem em baixo), apelamos à sua compreensão (e paciência); estamos certos de que em breve tudo estará já corrigido, de volta ao bom “Português europeu”.

APTinscracordes(captura/recorte de ecrã da página de inscrição no “site” da APT em 30.08.14 às 15 horas)