Deputados do PSD/Açores na Assembleia da República defendem

Aplicação do Acordo Ortográfico deve ser suspensa em Portugal

Os deputados do PSD/Açores na Assembleia da República pretendem saber se o Acordo Ortográfico vai ser suspenso em Portugal.

Num documento remetido ao ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, os deputados Mota Amaral, Joaquim Ponte e Lídia Bulcão referem que “agora que a aplicação do Acordo Ortográfico se tornou obrigatória nos documentos oficiais, vai surgindo com evidência o empobrecimento da língua portuguesa dele decorrente, o que causa profundo desgosto a muitos dos nossos concidadãos na Região Autónoma dos Açores”.

Os parlamentares referem que o Acordo Ortográfico é mais uma herança “socratiana” cuja entrada em vigor foi “apressada” sem que existam razões para que tal aconteça.

“Foi apressada a entrada em vigor do acordo, apesar da maior parte dos países em que o português é a língua oficial não ter dado mostras de querer aplicar regras tão insanas e ainda por cima confusas”, refere o documento.

Para além de pretenderem saber quais as vantagens da aplicação do novo Acordo Ortográfico, os deputados açorianos questionam o ministério de Paulo Portas se pretende ou não suspender a sua aplicação em território nacional. Perguntam se a aplicação da nova ortografia surge apenas para satisfazer a vontade do Brasil ou se tal resulta em algum benefício para Portugal no que se refere ao acesso ao mercado editorial daquele país por parte dos autores nacionais.

(in Diário Insular de 2012.01.28 [Link disponível apenas para assinantes.])

Nota: os conteúdos publicados na imprensa ou divulgados mediaticamente que de alguma forma digam respeito ao “acordo ortográfico” são, por regra e por inerência, transcritos no site da ILC já que a ela dizem respeito e são por definição de interesse público.

Esta notícia foi-nos indicada por Rogério Pereira na página da ILC no Facebook. Obrigado!